segunda-feira, julho 28, 2008

O que fazemos (I)


Pois é! Hoje fui cortar o cabelo! Não fui ao barbeiro castiço que tenho aqui ao lado porque aquilo é para machos latinos a sério, nem fui à cabeleira em frente pois dizia ..para senhoras! Andei mais um pouco ao longo da minha rua e encontrei um cabeleireiro para homens assim meio escuro por fora. Fui à aventura e entrei. Lá por dentro era um pouco chique e pensei logo: este deve ser caro! Mas como só corto o cabelo de três em três anos, mais coisa menos coisa, decidi corta-lo mesmo ali. A casa chamava-se Cabeleireiros Tony, não sei se é uma rede, mas pelo menos o senhor com ar de Quim Barreiros chamava-se António. Quem me atendeu foi a sua senhora, que estava na entrada e parecia ser ela que controlava o negócio, ele era o artista.

Depois de esperar um pouco, sentei-me na cadeira e disse: é para cortar tudo! Como sou uma pessoa tímida fico sempre sem saber o que fazer naquelas situações. Vou ter de estar ali 20 minutos com um homem a mexer-me na cabeça pelo que o silêncio pode ser uma coisa bastante confrangedora. Então resolvi, de forma um pouco improvisada, falar do que fazia. Aproveitei a deixa do cabelo dizendo que tinha de o cortar pois, como sou geólogo marinho, no Verão costumava ir para o mar e o cabelo comprido não dava muito jeito. Ele falou-me logo de um programa que tinha acabado de dar na televisão sobre a matança de golfinhos na China. Eu pensei: qual foi a parte de “geologia” que o senhor António (Tony) não percebeu? Não sei se ele sabe o que é um geólogo mas pelo menos usou a palavra correcta o resto da conversa. Talvez por não ter a certeza interrogou-me: vocês têm falta de emprego não é? Típico! Pelo que respondi: sim, mais ou menos, as coisas estão a melhorar, a falta de petróleo e o aumento do preço dos metais têm ajudado. E pronto, fez-se ali uma bela conversa. Falei-lhe que estava a trabalhar no Golfo de Cádis e que estudava a falhas que geravam os sismos, como aquele de 1755. Disse-lhe que tinha cartografado a estrutura que gerou o sismo de Fevereiro do ano passado e ele comentou logo: Oh homem! Não me lembre disso! Se soubesse o que foi em 68.. Eu respondi mais ou menos ao mesmo tempo que a esposa do senhor António (Tony): 69, foi em 69. Ele concordou mas disse-me que preferia não falar em terramotos pois de alguma forma tinha a noção que caso haja um não haverá muito a fazer. Continuámos, falámos na reabertura das minas e eu de vez em quando lá me esquecia que estava a falar com um cabeleireiro e mandava uma posta do tipo: mas é nos nódulos de manganês do fundo do mar que está o futuro. O homem fazia uma cara estranha e eu lá voltava a falar numa coisa mais interessante. Foi uma experiência sociológica interessante e saí de lá com um belo corte de cabelo.

O leitor deve estar neste momento a pensar: porque raio está um dos autores deste blog a falar na sua ida aos cabeleireiros Tony? Bem a ideia surgiu quando estava a fazer o jantar e decidi fazer uma série de posts sobre o que faço cientificamente. Como já deve ter reparado o pessoal daqui é formado em geologia (o estudo do planeta Terra) e a maior parte de nós trabalha nessa área. Pois será sobre disciplinas da geologia que irei falar. Serve este post de introdução. (Desafio os outros autores a escreverem um pouco sobre o que fazem também, se tiverem tempo claro :) ). E como é bom sentir de novo o vento na cabeça!

Imagem: daqui

5 comentários:

Anónimo disse...

jejeje :)

O Moedas com cabelo curto outra vez! :)

Quero ver, quero ver ;)

Beijinho da belga.

geocrusoe disse...

bem, estarei atento sobre o que faz este geólogo ;-) em breve darei exemplos de algumas áreas onde me mexo, mas não exactamente o que faço, mas por agora vou andar numa de gozar o verão ilhéu.

Fernando Martins disse...

É curioso mas o meu barbeiro também sabe umas coisas de Geologia...!

Post muito engraçado - também gostava do tempo em cortava o cabelo quando me apetecia...

Méon disse...

Eh! Eh!

Só hoje li o teu postal e gostei! Coisas do quotidiano...
E ficamos a saber que os geólogos, esses seres estranhos, afinal também vão ao barbeiro, melhor: cabeleireiro!

Só comento este postal mas leio os outros, ok?

Abração!

dg disse...

ahahaha tenho de ver o novo corte
bem, eu n tenho muito que falar, que bem preciso duma visita ao barbeiro :|