segunda-feira, junho 14, 2010

Circunstâncias

.

"Não somos arremessados para a existência como a bala de um fuzil, cuja trajectória está absolutamente pré-determinada. A fatalidade em que caímos ao cair neste mundo – o mundo é sempre este, este de agora – consiste em todo o contrário. Em vez de impor-nos uma trajetória, impõe-nos várias e, consequentemente, força-nos... a eleger. Surpreendente condição a da nossa vida! Viver é sentir-se fatalmente forçado a exercitar a liberdade, a decidir o que vamos ser neste mundo. Nem num só instante se deixa descansar a nossa actividade de decisão. Inclusivé quando desesperados nos abandonamos ao que queira vir, decidimos não decidir.
.
É, pois, falso dizer que na vida «decidem as circunstâncias». Pelo contrário: as circunstâncias são o dilema, sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter."
.
Ortega y Gasset, in 'A Rebelião das Massas'

8 comentários:

m. disse...

sem palavras.

Méon, disse...

Como é bom saber que viajas pelas páginas por onde andei...

E esta é uma das mais impressivas.
Sim, viver é decidir!

Mário Rodrigues disse...

Poderia eu então tirar a conclusão que, as pessoas que se abandonam aos comandos de terceiros vivem "menos"?
Se bem que isso em já é uma decisão...

Saudações

joaosete disse...

Era mesmo isto que precisava de "ouvir".
João, mais uma vez, obrigado

André Pinto disse...

Vale a pena ler tudo do Ortega y Gasset, mas, depois d'"A Rebelião das Massas", o mais importante será o "A Espanha Invertebrada", cujas reflexões se aplicam também a Portugal. Não sei que traduções existirão para o Português, mas aconselho a ler no original.

wholesale Juicy Handbags disse...

Com capacidade para nos iluminar/aquecer muito mais,não?
Ou ainda não se tem conhecimentos mais aprofundados sobre ela?

Anónimo disse...

...

vial disse...

Seu blog traz coisas ótimas!