segunda-feira, novembro 20, 2006

Acordo internacional sobre reactor experimental de fusão nuclear será assinado na terça-feira

O acordo internacional que apresenta a estrutura jurídica que orientará a construção do reactor experimental de fusão termonuclear Iter será assinado na terça-feira em Paris, revelaram hoje fontes oficiais dos países participantes.

A cerimónia vai pôr um fim a dez anos de negociações, que terminaram em Junho de 2005 com a escolha do sítio francês de Cadarache para a instalação do Iter, orçado em dez mil milhões de euros.

O projecto envolve a China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Rússia e União Europeia, aos quais se juntou a Índia em Dezembro de 2005.

A fusão nuclear controlada visa reproduzir as reacções ocorridas no centro do Sol. O objectivo é dotar a Humanidade de uma fonte de energia inesgotável e não poluente.

AFP, in publico 20/11/2006

3 comentários:

joaosete disse...

Já estou a ver as confusões com as centrais nucleares, os protestos...

...espero que cheguem à parte do: "...dotar a Humanidade de uma fonte de energia inesgotável e não poluente."

joao_moedas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
joao_moedas disse...

Pois! É Verdade. A ver se faço um post acerca das diferenças entre fusão e fissão nuclear, uma pequena ajuda para que isso não aconteça. Para já fica aqui um cheirinho de um texto que encontrei:

" A energia obtida pela fissão nuclear tem o grave inconveniente de libertar material radioativo. Quando, por qualquer razão, esses materiais escapam das centrais nucleares, permanecem por muito tempo na atmosfera, na água, no solo e nos seres vivos, causando uma poluição de efeitos catastróficos e duradouros.

Atualmente, graças aos estudos do plasma, o quarto estado da matéria, tem-se a esperança de obter energia nuclear não-poluidora. Pois a partir dele tem sido possível provocar a fusão nuclear, que é o oposto da fissão: provocam-se colisões dos átomos no estado de plasma, e estes se unem, formando átomos mais pesados, e libertando, em consequência da colisão, grande quantidade de energia. Essa energia, obtida por fusão nuclear, é limpa, ou seja, não poluidora; ao contrário da energia obtida por fissão nuclear, não produz "lixo radioativo"."