sexta-feira, junho 09, 2006

Gas Hydrates (Hidratos de Metano)

No passado mês tive o previlégio de estar a bordo de um navio de investigação onde foi recolhido Hidratos de Metano (Gas Hydrates), em águas portuguesas. Deixo aqui algumas imagens e informações para os mais curiosos.


Gas Hydrates recovered in the Gulf of Cadiz in June 2006, during the TTR16 research cruise.
This samples were colected in a deep sea mud volcano.


WHY DO I LIKE GAS HYDRATES?
Because they are beautiful...
Because they look like diamonds in rock...
Because they make even pure alcohol soft and pleasant...
Because they are the last hope of humanity as pure energy source in the near future...
Because they are mistic and unknown...
BECAUSE!!!
(by VYakusshev)

Ice that burns!



Most loud of them are:

- natural hydrates containt several times more hydrocarbons than all oil and gas fields discovered as well as undiscovered;

- marine hydrate-containing sediments are the source of new unknown living things like "ice worms";

- marine hydrates can be the reason of ships and planes disappearance in the "Bermuda triangle";

- hydrates can cause catastrophic global warming;

- hydrate-containing sediments are real threat for deep sea constructions and communications


Structure of Gas Hydrates

What is Gas Hydrate?
Gas Hydrate is an ice-like crystalline solid formed from a mixture of water and natural gas, usually methane. They occur in the pore spaces of sediments, and may form cements, nodes or layers.


Where is Gas Hydrate found?
Gas Hydrate is found in sub-oceanic sediments in the polar regions (shallow water) and in continental slope sediments (deep water), where pressure and temperature conditions combine to make it stable.


Why is it important to study Gas Hydrate?
Natural Gas Hydrate contains highly concentrated methane, which is important both as an energy resource and as a factor in global climate change.

Um fim do dia no Golfo de Cadiz...

9 comentários:

joaosete disse...

Que bom ver esse entusiasmo, essa dedicação.
Hoje fala-se muito em hidratos de carbono...mas tu, como sempre, mais à frente...com que então metano?

Fico contente com essas tuas viagens. Tenho esperança que conquistes o espaço que mereces e que os nossos cientistas deixem de andar à espera das escassas bolsas.

Torço por ti, Amigo!

joao_moedas disse...

Estamos todos no mesmo barco! Só espero que descobertas tão importantes como esta façam os nossos alegres governantes abrir os olhos... Os próximos tempos vão ser difíceis, mas não podemos desistir... O conhecimento e a unidade são as nossas grandes armas... Mas é realmente triste sermos tratados como uns gajos curiosos que andam a apanhar pedrinhas do fundo do mar :) Mas tenho esperança que isto mude um dia... e que todos nós possamos fazer o que mais gostamos e dar um contributo significativo para um mundo melhor...

João Guerreiro disse...

O barco era de que país?
Foi uma expedição internacional calculo?
Muito boa onda! Para a nossa comunidade (país e geologica) e especialmente para ti coins!
Os meus parabens e um abraço rapaz!

Bruna disse...

Oi!! achei seu blog por acaso na internet, quando estava pesquisando alguns sites sobre o hidrato de metano!!
Tenho uma dúvida muito grande, é que andei lendo que o hidrato quando trazido para a superfície, devido as condições aqui presentes, é muito instável! Portanto derrete facilmente. Mas fiquei surpresa com a foto que você postou devido ao aspecto do hidrato! vc poderia me dizer como foi feita a retirada do mar, e se nem todos tem aparência de gelo ?!
brturri@ig.com.br

Obrigada!
Bruna

joao_moedas disse...

Olá Sr. João Guerreiro (Esquilo)! Tudo bem? O navio era russo e era uma equipa internacional (russos, portugueses, ingleses e marroquinos).
Um abraço

joao_moedas disse...

É verdade, os hidratos de metano são instáveis à superfície, onde rapidamente se dissociam. Estes hidratos foram amostrados através de um "gravity core", assim que chegaram ao navio foram colocados num congelador (numa geleira), e apenas foram retirados para tirar estas fotografias. O "gravity core" foi feito para amostrar sedimento, e trazia hidratos misturados no seu interior, o que permitiu a sua conservação. Alguns deles "derreteram" antes poderem ter sido congelados. O aspecto destes hidratos, ou melhor a cor, deve-se ao facto deles terem sedimento misturado.

JMD disse...

Admiro que anda no "barco" da Ciência, esse instrumento poderoso para a libertação do homem.
Vou lendo e aprendendo.
Um abraço, João!

JMD disse...

Volta e meia venho visitar a "Terra que Gira" e verifico que há muitos dias que não é tocada pelos bloguistas signatários...

Um pequeno conselho: não deixem morrer este espaço. Tragam pequenos contributos: um livro que se anda a ler (não, não se trata de fazer ressenções exaustivas, muito sábias; é o contrário: um apontamento a abrir o apetite de terceiros...), um pensamento lido algures, um comentário breve...

Eu sei, o tempo é pouco.
Combinem: cada semana um, por exemplo...

Força, bom trabalho, viva a Ciência, abaixo o obscurantismo!
Um abraço

JMD

joaosete disse...

resposta ao comentário anterior:
Já perdi tantos pensamentos que poderia partilhar aqui, talvez o Tempo...

Aceito a sugestão e em breve, um livro que se ande a ler, e outros pensamentos.

Já agora, se quiserem contribuir com qualquer coisa...estejam à vontade, essa é uma das funções do blog.

outro joão