terça-feira, janeiro 10, 2006

A Quarta Dimensão

O nosso cérebro facilmente confunde as dimensões. Veja-se por exemplo esta imagem.


















M.C. Escher


Esta imagem é possível a 2 dimensões mas impossível a 3, o que cria confusão no nosso cérebro. O mundo em que vivemos tem 4 dimensões*. Um mundo com apenas 3 seria imóvel, seria como pôr o Universo em "pause", estaria congelado. É o tempo que permite o movimento, é o tempo que nos permite deslocar de um ponto para o outro. O vector que liga esses dois pontos é como uma quarta dimensão. É o movimento dentro do espaço 3D. Podemos imaginar-nos como um objecto tridimensional. Podemos centrar um referencial (x, y, z) na ponta do nosso nariz. Quando nos deslocamos, ou mesmo estando repouso (e este é o grande salto conceptual!), esse referencial desloca-se connosco, somos um objecto tridimensional a deslocarmo-nos num espaço de dimensão superior, um espaço quadrimensional (x, y, z, t). Sem o tempo, a quarta dimensão, esse deslocamento seria impossível. Se imaginarmos uma circunferência num espaço tridimensional, ela tem a forma comum a que estamos habituados. No entanto, essa mesma circunferência num espaço quadrimencional tem a forma de um tubo, pois essa circunferência deslocasse ao longo do tempo. Não percebemos a quarta dimensão porque estamos dentro dela, ou melhor, deslocamo-nos com ela. Para nós o tempo é sempre o conjunto de momentos instantâneos, como se de fotografias se tratassem, mas quando vimos alguns filmes, por vezes os objectos em movimento deixam um rasto, e aí é como se estivéssemos a ver na realidade a quarta dimensão. Vemos as trajectórias dos objectos ao longo do tempo, a quarta dimensão. Surge então aquilo a que Einstein chamou o "espaço-tempo", pois na realidade estas duas componentes são o nosso Universo indissociáveis.












* Na realidade, segundo a teoria das cordas (que defende que a unidade básica de tudo o que existe no Universo são cordas unidimensionais), pensa-se que o nosso Universo tem 11 ou mais dimensões. No entanto elas encontram-se enroladas sobre si próprias. Apenas três dimensões espaciais e uma temporal se estenderam após o Big-Bang. É como se quando ampliássemos brutalmente um ponto unidimensional, este, surpreendentemente, se transformasse numa esfera. Aparecem assim 3 novas dimensões minúsculas (neste exemplo daria um total de 9 dimensões 3x3=9; na realidade esses objectos minúsculos, que tratamos "habitualmente" como unidimensionais, têm eles próprios mais de três dimensões! ).

Links:
Higher Dimensions
Our Four Dimensions
4D Geometry
M.C.ESCHER

1 comentário:

Anónimo disse...

Link ехchange is nоthing else except it іs onlу
placіng the othег pеrson's blog link on your page at proper place and other person will also do similar for you.

My weblog - HTTP://www.Crossroad-fwch.org