quarta-feira, janeiro 11, 2006

Hidratos de Metano, o que são?

O hidrato de metano é um sólido cristalino constituído por moléculas de metano rodeadas por uma cadeia de moléculas de água. Sendo em tudo semelhante ao gelo, expecto no facto de que a sua estrutura cristalina é estabilizada pela presença de moléculas de metano no interior da cadeia de moléculas de água.

Os Hidratos de Metano ocorrem um pouco por todo o planeta, principalmente nos oceanos e nos sedimentos polares (permafrost) onde a temperatura é suficientemente baixa e a pressão suficientemente alta para cristalizar o metano em hidrato de metano.
Talvez a propriedade mais impressionante dos Hidratos de Metano seja a sua capacidade de "arder", no sentido literal do termo. Pois quando lhes tocamos estes são praticamente indistinguíveis de blocos de gelo, extremamente frios e até mesmo molhados.

4 comentários:

Anónimo disse...

Sempre a aprender... E eu a pensar que o metano era aquilo que resultava do intestino, em plena laboração digestiva!
Agora já sei porque é perigoso um tipo "peidar-se" em cima do lume!
Foge!...

Cristóvão disse...

o senhor anónimo deveria era ir para a escola e aprender a respeitar o ambiente em vês de andar a fazer comentários completamente sem nexo. Se estivesse atento ás noticias de hoje em dia, saberia que o metano é um dos gases provocadores do efeito de estufa, efeito este que apesar de ser essencial á vida na terra está a tornar-se cada vez mais problemático.

Anónimo disse...

Porque o CH4 ( metano) é gasoso a temperatura ambiente ( ~25º c) ?
E quando ele se torna cristalino ?

Obrigada desde já!
Att:
Dâmaris

Francisco Vianna disse...

Não existem gases que produzem o "efeito estufa" (greenhouse effect) porque as moléculas gasosas não têm o poder de refletir de volta à superfície terrestre o calor solar refletido por ela em direção ao espaço. O que, de facto, faz isso são as nuvens (vapor d'água) e as partículas sólidas em suspensão no ar. Essa falsa noção de "gases de efeito estufa" é disseminada por razões políticas pelos ecologistas e veementemente negada pelos climatologistas, os verdadeiros cientistas do clima terrestre, regional e global. Outro mito é a ação humana no chamado - também politicamente e inexistente - "aquecimento global", que até hoje tem se mostrado incapaz de ser sequer medida. As variações de temperatura do planeta dependem quase que totalmente da atividade solar, que se mostra cíclica, numa curva senoidal com ápices positivos e negativos em intervalos de seia a sete décadas.