segunda-feira, janeiro 23, 2006

Boas novas do Vaticano!

Este fim-de-semana o meu pai, numa das nossas eternas conversas acerca do mundo, informou-me de algo que me espantou profundamente. Saiu no jornal Público do dia 21 de Janeiro de 2006, um artigo acerca de um facto que considero histórico. Neste pode-se ler: “A concepção inteligente do mundo – que coloca em causa a teoria de Darwin – não é ciência e, por isso, não deve ser ensinada nas escolas, a par do evolucionismo. O argumento, defendido por muitos cientistas, aparece agora onde menos se esperava: no L’Osservatore Romano – o jornal oficial do Vaticano” (*). O artigo foi publicado na passada terça-feira no jornal romano, assinado pelo padre Fiorenzo Facchini. A concepção inteligente é uma teoria muito semelhante à do criacionismo, defendendo que o aparecimento da vida na Terra requer a existência de uma inteligência superior. “O que a Igreja Católica insiste, esclarece Fiorenzo Facchini, é que a emergência do ser humano supõe um acto de Deus e que a vertente espiritual não pode ser vista como um mero produto do processo da evolução natural. Mas este salto ontológico não tem que colidir com a visão darwinista.”(*) “Se o modelo de Darwin parecer inadequado, deve procurar-se outro, mas não é correcto entrar num ramo da ciência fingindo-se fazer ciência. (…) A concepção inteligente não pertence à ciência e não há qualquer justificação para que seja ensinada como teoria científica, a par da explicação darwinista.”(**) “No artigo, Fiorenzo Facchin concorda mesmo com o juiz da Pensilvânia que, em Dezembro, considerou inconstitucional o ensino da concepção inteligente numa escola de Dover, em alternativa à teoria da evolução das espécies.”(*)
Fiquei extremamente surpreendido com esta notícia. Para além de mostrar uma nova abertura da Igreja Católica, que nos dá uma nova esperança, demonstra como a administração americana pode ser mais papista que o Papa. Resta esperar que esta mensagem seja espalhada pelos fiéis seguidores do Senhor, e algumas bocas mais arrogantes possam ser caladas. Desde há muito tempo que existem cientistas crentes em Deus e crentes que acreditam na ciência. Esta nova perspectiva do Vaticano vem demonstrar que as duas coisas não são incompatíveis, antes pelo contrário. O próprio Einstein acreditava em Deus, tendo mesmo esta sua visão do mundo condicionado alguns dos seus trabalhos, bem expresso pela frase caricatural “Deus não joga aos dados”, referindo-se à matemática probabilística da mecânica quântica. Resta ainda esperar e ter esperança de que este artigo não venha a ser desmentido e que o nobre padre, professor de antropologia, não venha a ser queimado numa fogueira qualquer.

(*) Sofia Jesus, in Público.
(**) Fiorenzo Facchini, in L’Osservatore Romano.

3 comentários:

Anónimo disse...

mmm...wat ik heb je graag als je zo babbelt, alhoewel ik er heel weinig van versta..;), maar ja dat is logisch niet? Jij verstaat hier ook weinig van niet?:)

ik zie je graag mijn geoloogje! :)
daaag!

JMD disse...

Esta notícia do jornal do Vaticano pode significar que a ICAR(Igreja Católica Apostólica Romana)aprendeu alguma coisa com a História. O que não é nada do outro mundo se nos lembrarmos do escândalo Galileu, só há poucos anos reconhecido pela dita.
Aliás, dentro da ICAR sempre houve várias correntes, sendo que os conservadores normalmente predominam e têm o hábito de se colarem aos poderes políticos mais retrógrados. Mas Cristo foi um revolucionário e por isso foi morto. ( A história que lhe colaram depois - de que ele morreu para nos salvar, cumprindo assim a vontade de seu pai que precisava desse sacrifício para resgatar a humanidade, etc - é uma fábula sem pés nem cabeça mas, como todas as fábulas dramáticas, tem o condão de seduzir, mesmo as pessoas inteligentes. É o medinho da morte, já se sabe...)
S. Francisco de Assis foi um perigoso agitador subversivo, como Giordano Bruno e tantos mais.
De qualquer modo, esta notícia do O. Romano vem ampliar o ridículo de certas tomadas de posição nos EUA, em que de facto aquelas bestas são mesmo "mais papistas do que o Papa"...
Bom post, João, dado que este espaço deve ser de divulgação científica a todos os níveis.

Anónimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado